sábado, 19 de Setembro de 2009

ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO


A origem do conceito de Índice de Desenvolvimento Humano
A abordagem ao desenvolvimento humano emerge num contexto de crescente crítica à visão dominante dos anos 80 do século XX, que presumia uma estreita relação entre o crescimento económico e a expansão das escolhas individuais.
No entanto, muitos especialistas, como o economista paquistanês Mahbub ul Haq, que teve um papel fundamental na formulação do paradigma do desenvolvimento humano, reconheciam a necessidade de um modelo alternativo de desenvolvimento. Era, por exemplo, evidente a existência e o incremento de problemas sociais como o crime, a poluição e a propagação do VIH em economias fortes e em crescimento.
Desde 1990 o conceito de desenvolvimento humano foi aplicado sistematicamente e publicado anualmente sob os auspícios das Nações Unidas (Departamento de População).
Esta visão alternativa de desenvolvimento humano, baseada no trabalho do economista Amartya Sem (laureado, em 1998, com o prémio Nobel da Economia) e de outros especialistas, é definida como o processo de aumentar as escolhas pessoais e promover as capacidades humanas e liberdades que possibilitem viver uma vida longa e saudável, ter acesso ao conhecimento e a condições decentes de vida, participar na vida da comunidade e nas decisões que afectam as nossas vidas.
O Índice de Desenvolvimento Humano enfatiza a riqueza da vida humana em detrimento da riqueza da economia. É um índice composto que mede, em cada país, a média de metas alcançadas em três dimensões básicas de desenvolvimento humano: uma vida longa e saudável, o acesso à educação e a condições de vida condignas.
Excerto de ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO TE
(OL)

12 comentários:

  1. O indicador de desenvolvimento humano (IDH) criou uma única estatística que serve de referência para o desenvolvimento económico e social. O IDH estabelece um mínimo e um máximo para cada dimensão, mostrando depois como e onde cada país de situa em relação a essas metas num valor expresso entre 0 e 1.
    A componente educacional do índice inclui taxas de alfabetização entre adultos e uma taxa de escolarização bruta combinada dos ensinos Básico, Secundário e Superior, ponderando com mais peso na estatística a alfabetização entre os adultos. Como a taxa mínima de alfabetização adulta é 0% e o máximo 100%, a componente de literacia do conhecimento para um país com uma taxa de literacia é 62% é de 0,62. A taxa de escolarização para cada ciclo é calculada dividindo o número de estudantes que frequentam os níveis de educação primária, secundária e terciária pelo total de população correspondente ao grupo teórico etário correspondente a esses níveis.
    A esperança média de vida do índice é calculada usando um valor mínimo para a esperança média de vida aos 25 anos e um valor máximo aos 85 anos, estabelecendo desta forma a componente de longevidade para um país.
    In ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO TE
    (OL)

    ResponderEliminar
  2. Ao contrário do crescimento económico, que traduz uma visão quantitativa, o desenvolvimento humano é um fenómeno de natureza essencialmente qualitativa.
    A produção de diversos bens para exportação e o esforço de industrialização, juntamente com uma tecnologia avançada e um baixo preço da força de trabalho, são uma óptima combinação para um elevado crescimento económico. Isto apenas significa que o país que apresenta esta combinação de factores é economicamente desenvolvido, com um PIB per capita e um nível de investimentos maior do que o que seria de esperar se esse crescimento económico não se tivesse dado.
    No entanto, alguns destes países, não possuem as condiçoes consideradas necessárias para se tornarem num país desenvolvido.
    Tal é o caso da China e do Japão. Estes países fazem uma má canalização dos rendimentos obtidos, têm políticas consideradas instáveis e problemas culturais e sociais muito acentuados, o que leva a que uma significativa parcela da população tenha uma baixa qualidade de vida.
    É certo que para haver desenvolvimento, tem que haver crescimento económico, mas crescimento económico não implica desenvolvimento.
    Para medir o desenvolvimento dos países são utilizados indicadores simples e compostos.
    O indiciador composto considerado mais importante, no qual se centra este comentário, é o Índice de Desenvolvimento Humano.
    Este indicador, utilizado pelo PNUD, combina informações económicas, sociais e culturais. Foi criado pelo economista Amartya Sen, nascido em 1933, em Bengala, que em 1998 foi galardoado com o prémio Nobel para a Economia.
    O IDH engloba o PIB per capita, a taxa de escolaridade combinada e a esperança média de vida, mudando a perspectiva que até então era tida como certa de que o PIB per capita era sinónimo de bem-estar da população.
    Apesar deste indicador ser composto por médias que podem ocultar as disparidades existentes, é através deste que se pode determinar se as seguintes metas são ou não atingidas num certo país: " uma vida longa e saudável, o acesso à educação e a condições de vida condignas.".

    Marta Freitas nº17

    ResponderEliminar
  3. O Índice de Desenvolvimento Humano é um dos indicadores compostos utilizados para medir o desenvolvimento de cada país, a partir de informações de diferentes naturezas. Este índice, que combina informações não só económicas como também sociais e culturais, permite-nos obter uma ideia mais aproximada da realidade num determinado país, revelando-nos assim o grau de desenvolvimento e não meramente a riqueza material desse mesmo país.
    Criado por Amartya Sen - economista indiano -, é composto por indicadores como o PIB per capita, a esperança média de vida à nascença, a taxa de alfabetização de adultos e de escolarização combinada.
    É importante referir que, apesar de o crescimento económico ser sinónimo de aumento de riqueza, rendimento e investimento, só uma gestão sustentável desses recursos, que garanta as necessidades básicas e o mínimo de bem-estar à população, poderá conduzir a um desenvolvimento. Segundo o Relatório de Desenvolvimento Humano, de 1995/1996, "as últimas décadas mostram muito claramente que não existe nenhuma relação automática entre crescimento e desenvolvimento humano". Contudo, o crescimento é condição necessária para que haja desenvolvimento humano.
    Mas porque será então o IDH tão importante? A verdade é que este índice, utilizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, evidencia-nos os cuidados que um país dispensa à sua população, revelando-nos então até que ponto é que este está disposto ou tem capacidade para investir no bem-estar dos seus habitantes. No entanto, o IDH acaba por ocultar algumas disparidades em termos de rendimento, emprego, condições de vida e de outras situações inconcebíveis que se continuam a verificar nos países.

    Marta Serra nº18

    ResponderEliminar
  4. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um indicador composto que engloba três dimensões: económica, demográfica e cultural, a que corresponde, respectivamente, o PIB p.c., a esperança média de vida à nascença e a taxa combinada de escolarização e taxa de alfabetização de adultos.
    Este foi criado por Amartya Sem, economista indiano, e consiste num modo padronizado de avaliação e medida do bem-estar de uma população. O índice varia entre zero e um, sendo que zero revela a inexistência de desenvolvimento humano e um, o desenvolvimento humano total.
    O IDH é considerado um indicador de extrema importância - adoptado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - não só refere a vertente económica como também outras vertentes que colocam um país num determinado grau de desenvolvimento. Poderemos então recorrer a um exemplo que elucide o afirmado. Angola, embora seja muito mais rica do que Portugal, é um país de 3º mundo, querendo isto dizer que embora esteja bastante desenvolvida em termos económicos não permite à população uma série de condições que lhe proporcionem bem-estar, no que se refere aos domínios demográfico e cultural.
    Em suma, este indicador permite combinar informações dos diversos domínios do social concedendo-nos uma visão mais realista da situação económica, cultural e social de um país, sendo essencial para que tenhamos um desenvolvimento sustentável e sustendado.

    Inês Santos, nº7

    ResponderEliminar
  5. O desenvolvimento acontece quando o crescimento económico produziu efeitos de arrastamento positivos sobre outras esferas da vida social, ou seja, é uma visão qualitativa. Podemos então verificar que o desenvolvimento é um fenómeno complexo, que se estende a diferentes áreas sociais. Posto isto, qualquer indicador simples é insuficiente para classificar o país em estudo.
    Ao haver a necessidade de perceber melhor a situação de cada pais, as organizações internacionais ligadas á problemática do desenvolvimento tiveram de encontrar indicadores mais compostos capazes de medir o desenvolvimento.
    Surge então o Índice de Desenvolvimento Humano(IDH) utilizado pelo programa das nações unidas para o desenvolvimento(PNUD), o seu autor foi Amartya Sem.
    Amartya Sem põe de lado a noção de que o crescimento económico, medido pelo PIB per capita, é noção de bem-estar das populações.
    Podemos então concluir que o Índice de Desenvolvimento Humano combina informações económicas, sociais e culturais. E inclui três indicadores: PIB p.c real; esperança media de vida á nascença; e taxa de alfabetização de adultos e a taxa de escolaridade combinada dos ensinos primário, secundário e superior.
    Podemos então concluir que o Índice de Desenvolvimento Humano enfatiza a riqueza da vida humana em detrimento da riqueza da economia.É por isso importante não só promover o crescimento economico, mas também o desenvolvimento de modo a aumentar o bem-estar da população.

    Mariana Cruz nº15

    ResponderEliminar
  6. Como calcular o IDH?

    O IDH consiste numa medida que sintetiza os diversos índices de desenvolvimento humano. Ou seja mede os progressos registados, em média, num determinado país, em três dimensões básicas do desenvolvimento humano:
    Uma vida longa e saudável, medida através da esperança de vida à nascença.
    Nivel de conhecimentos, medido através da taxa de alfabetização de adultos (com ponderação de dois terços) e da taxa de escolarização bruta combinada do ensino básico, secundário e superior ( com ponderação de um terço).
    Um nível de vida digno, medido através do PIB per capita.

    Antes de se calcular o IDH propriamente dito, é necessário criar um índice para cada uma destas três dimensões. Para o cálculo destes índices (os três referidos atrás) são seleccionados valores minímos e máximos, as chamadas balizas, para cada indicador primário.

    Sendo o IDH um indicador composto é necessário recorrer aos indicadores anteriores para que este seja avaliado ao promenor.

    Esperança média de vida:
    O índice da esperança de vida mede os progressos relativos de um país em termos de esperança de vida à nascença.

    Grau de instrução:
    O índice do grau de instrução mede os progressos relativos de um país tanto na alfabetização de adultos como na escolarização bruta combinada do primário, secundário e superior. Primeiro, são calculados os índices da alfabetização de adultos e da escolarização bruta combinada. Posteriormente, estes dois índices são combinados para se obter o índice do grau de instrução, sendo atribuída uma ponderação de dois terços à alfabetização de adultos e de um terço à escolarização combinada.

    PIB:
    O índice do PIB é calculado com base no PIB per capita ajustado (PPC em USD). No IDH, o rendimento entra como substituto de todas as dimensões do desenvolvimento humano não reectidas numa vida longa e saudável e no nível de conhecimentos. O rendimento é ajustado porque, para atingir um nível elevado de desenvolvimento humano, não é necessário um rendimento ilimitado.

    LOGO:
    Cálculo do IDH
    Uma vez calculados os índices de dimensão, torna-se muito fácil determinar o IDH pois corresponde à média simples dos três índices de dimensão.

    É de salientar que um país pode crescer mas não se desenvolver mas para se desenvolver é necessário haver crescimento económico.

    Um exemplo óbvio que festa afirmação é o caso de Angola e Portugal pois apesar da riqueza criada em Angola ser bastante superior (por ano) à de Portugal este país não deixa de ser considerado de 3º mundo enquanto que o nosso país é referido como do 1º mundo.

    nota: a informação referida no texto foi retirada do 'Relatório de Desenvolvimento Humano 2007/2008' mas também contém dados de outras fontes, nomeadamente das aulas de economia.


    Por: Ana Patacão n.º1

    ResponderEliminar
  7. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um indicador a partir do qual podemos observar e medir o desenvolvimento de um país, e a realização, a nível mundial, das necessidades humanas consideradas básicas e prioritárias.
    Este é um indicador desenvolvido no ano de 1990 pelo paquistanês Mahbub ul Haq e o indiano Amartya Sen, ambos economistas, sendo este usado desde 1993 pelo Programana das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no seu relatório anual.
    Este engloba informações de três dimensões: a demográfica, a cultural e a económica. Este indicador é calculado atráves de três variáveis, sendo essas, respectivamente, a Esperança Media de Vida, com a qual podemos medir a longevidade, a Taxa de Alfabetismo, para medir o nível de instrução, e o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, sendo este um indicador do rendimento.
    O valor do IDH varia entre 0 e 1, podendo ser observável o nível de desenvolvimento de um país, pois o último valor indica as melhores condições sócio-economicas, sendo o primeiro valor exactamente o contrário. Podemos dizer que este (o IDH) encontra-se dividido em três classes: quando o seu valor varia entre 0,800 e 1, dizemos que é elevado; quando esse valor varia entre 0,500 e 0,799 dizemos que é médio; quando esse valor varia entre 0 e 0,499 dizemos que é baixo
    Em conclusão, o IDH é um indicador através do qual podemos ver o nível de desenvolvimento de um país, sabendo se este cumpre as necessidades humanas básicas e prioritárias para poder ser habitado, sendo o valor 1 falado à pouco quanto à análise do valor do IDH, um objectivo para todos os países, pois qualquer país espera poder cumprir as necessidades prioritárias da população para que esta possa viver nele. Este é um indicador virado para a riqueza, não económica, mas sim de desenvolvimento humano de um país.


    André Castilho nº4

    ResponderEliminar
  8. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida comparativa de riqueza, alfabetização, educação, esperança de vida, natalidade e outros factores para os diversos países do mundo. É uma maneira padronizada de avaliação e medida do bem-estar de uma população.
    A sua informação mede melhor o que se considera ser o desenvolvimento já que não recorre exclusivamente a informação económica. De facto, o desenvolvimento humano é muito mais do que apenas riqueza - sáude e cultura são sinónimos de dignidade do ser humano.
    IDH pode variar entre 0 e 1. Quando um país está entre 0 0,499 é considerado baixo, entre 0,500 e 0,799 é considerado médio e entre 0,800 e 1 é considerado alto.
    Portugal está em 29º no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O instituto classifica como bom o nível de vida índices a partir de 0,8. No ranking mundial Portugal (29º) está muito à frente de suas ex-colónias: o Brasil está em 70º, Cabo Verde em 102º, Angola em 162º, Guiné-Bissau em 175º, Timor-Leste em 150º e Moçambique em 172º. Portugal melhora gradualmente o seu índice desde que a avaliação foi instituida, em 1975.
    Concluindo, o Índice de Desenvolvimento Humano é um indicador composto que nos permite ver o nível de desenvolvimento de um país.

    Raquel nº21

    ResponderEliminar
  9. O IDH, índice de desenvolvimento humano, é um indicador composto por três indicadores simples, PIB per capita, esperança média de vida à nascença e a taxa de escolaridade combinada/taxa de alfabetização de adultos. Assim sendo este estende-se a diferentes áreas sociais pois só assim é possível classificar um país em estudo a nível de qualidade de vida.

    O seu autor foi Amartya Sen, vencedor de um prémio Nobel da economia, pelos seus estudos pela pobreza. Amartya afasta a definição de crescimento económico do sinónimo de bem-estar das populações. Desenvolvimento é muito mais que a criação de riqueza, a principal preocupação deste indicador é a possibilidade de alcançar melhores níveis de vida, uma qualidade de vida superior, levando essencialmente para aspectos como a educação, cultura, participação na vida social…

    Concluindo que a verdadeira importância do IDH é ter uma perspectiva maior do nível de desenvolvimento de um país, pois “desenvolvimento humano é o fim – o crescimento económico um meio” porque o verdadeiro sentido é chegar à qualidade de vida para todos, analisando todos os aspectos incluídos neste indicador composto, um indicador da sociedade.
    Um índice de desenvolvimento humano elevado é sinónimo de um bem-estar das populações.


    Mafalda de Sttau Monteiro nº12

    ResponderEliminar
  10. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um indicador composto que nos permite medir o desenvolvimento de um país.
    Este indicador foi criado pelo Economista Amartya Sen, visando dar resposta à necessidade de compreender melhor a situação de cada país e de corrigir graves situações sociais verificadas nalguns deles (como o desemprego, a insegurança, a pobreza e a exclusão).
    O IDH é constituído por vários indicadores, como o PIB per capita, a esperança média de vida, a taxa de alfabetização de adultos e a taxa de escolaridade combinada dos ensinos primário, secundário e superior.
    Este indicador permite-nos também constatar que crescimento económico (medido através do PIB per capita) não é sinónimo de desenvolvimento.
    São exemplos disso alguns países Africanos (como, por exemplo, Angola), onde o crescimento do PIB tem sido relativamente acentuado, mas continuam com níveis de desenvolvimento muito baixos.
    O Índice de Desenvolvimento Humano é, assim um importante indicador que permite determinar o grau de bem-estar da população e saber se a população de um determinado país goza de uma boa qualidade de vida.
    Um cidadão que viva num país desenvolvido deve ter alguns princípios assegurados, como o acesso à educação, à informação e a bens de natureza cultural, deve viver em urbanizações servidas de infra-estruturas funcionais e beneficiar de bons cuidados médicos, assistência hospitalar e social, deve ter um ambiente puro e os seus direitos civis, sociais e políticos devem ser respeitados.


    João Filipe Figueiredo Nº8

    ResponderEliminar
  11. A criação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) surge da preocupação de apenas se medir o bem-estar da população com indicadores e critérios económicos. Amartya Sen, o criador deste indicador, quis que o Desenvolvimento Humano fosse medido em algo mais do que apenas conceitos económicos. Por isso, para o cálculo deste indicador, adiciona-se ao critério económico (PIB per capita), critérios sociais - esperança média de vida à nascença, taxa de alfabetização de adultos e taxa de escolaridade bruta.
    Portanto, o desenvolvimento humano nao está apenas associado ao crescimento económico. Por sua vez, o crescimento económico não está directamente relacionado com o bem-estar e qualidade de vida da população pois pode haver crescimento económico sem desenvolvimento.
    Em conclusão, o desenvolvimento exige mais do que o rendimento e factores económicos. A riqueza material só poderá "comprar" o acesso à educação, à cultura, entre outros.

    É de referir que Amartya Sen foi galardoado em 1998 com o Prémio Nobel da Economia (pelos seus estudos sobre a pobreza) e que recolocou a Economia ao serviço da Humanidade.

    Ana Rita Eiras nº3

    ResponderEliminar
  12. O Índice de Desenvolvimento Humano(IDH) é um indicador composto, que é constituído por três diferentes indicadores simples, sendo estes, o PIB per capita, a esperança média de vida, a taxa de alfabetização de adultos e a taxa de escolaridade bruta. Este indicador permite medir o nível de desenvolvimento de um dado país, sendo um país considerado subdesenvolvido quando o seu IDH é de 0,499 ou menos; em desenvolvimento, quando o seu IDH é maior que 0,499 e menor que 0,799; sendo que será desenvolvido um país cujo IDH seja de 0,8 ou mais.
    Apesar de o IDH ser composto pelos indicadores simples anteriormente referidos, um país não será considerado desenvolvido se os Direitos Humanos aplicados, nesse país, não forem aplicados. Isto dá-se pelo facto de o IDH ter sido criado para medir o nível de vida das pessoas num país, pelo que, caso, num dado país, os Direitos Humanos sejam violados, a qualidade de vida das pessoas aí residentes irá diminuir. O IDH ainda nos dá a entender que existe uma diferença entre crescimento económico e desenvolvimento, visto que o desenvolvimento implica o crescimento económico, mas o oposto não se verifica.

    Luis Menino nº10

    ResponderEliminar